quinta-feira, 27 de julho de 2017

Eu Pensei

Eu pensei que era amor...
Eu pensei que era verdade...
Eu acreditei em palavras...
Mas era tudo ilusão, 
pois quem vê cara não vê coração...
Eu pensei que você existia, 
mas só me deu solidão... 
Não sei que graça tem iludir, enganar, 
brincar com sentimentos do qual 
um dia sentirá falta por não ter respeitado.
Eu acreditava em sentimentos... 
Eu acreditava no que falava... 
Hoje não acredito em mais nada, 
não confio em nada... 
Por existir pessoas assim é 
que outras pagam o preço... 
Por existir pessoas assim é que 
outras se tornam descrentes...
Mas o mundo da voltas e sei que nem todas 
as pessoas são iguais não podem ser iguais.
O tempo passa a vida passa e 
a cada dia é um recomeço, 
um novo tempo, pois no coração de cada 
um existe uma arma um escudo que 
chamamos de fé e esperança. 
Autora: Lu Galvão
© Direitos reservados
conforme artigo (Lei 9610/98)



Saudades

Falando em saudade...
De novo eu acordei pensando em você...
Já faz um ano que não te vejo
a dias que eu acordo pensando em você...
Não sei se você está bem...
Se está gostando de outro alguém...
Aqui ta tudo igual...
A não ser, a saudade que sinto de você....
Vi uma foto sua...
parecia que faltava alguma coisa...
Nos traços do sorriso deu pra perceber...
Será que ta sentindo minha falta...
Sera que ainda pensa em mim...
Talvez, ainda sorri quando lembra das
bobagens que falávamos...
Talvez...
Sinto sua falta...
Ainda dói...
Te amo anjo meu...
Autora: Rubia Mara
© Direitos reservados
conforme artigo (Lei 9610/98)


sexta-feira, 14 de julho de 2017

Quero me Casar

Quero me Casar
Quero me casar 
na noite na rua 
no mar ou no céu 
quero me casar. 

Procuro uma noiva 
loura morena 
preta ou azul 
uma noiva verde 
uma noiva no ar 
como um passarinho. 

Depressa, que o amor 
não pode esperar! 

Autor: Carlos Drummond de Andrade


O Amor e o Outro

Não amo melhor,
nem pior do que ninguém.

Do meu jeito amo.
Ora esquisito, ora fogoso,
às vezes aflito
ou ensandecido de gozo.
Já amei até com nojo.

Coisas fabulosas
acontecem-me no leito. 
Nem sempre de mim dependem, 
confesso.
O corpo do outro
é que é sempre surpreendente.

Autor: Affonso Romano de Sant’Anna