terça-feira, 8 de julho de 2014

Traço

Onde foi,
nem sei se foi de dia,
que vimos a luz branca da alvorada,
sei que vestias um sorriso
que se projetava em todas as sombras
mesmo nas esquinas onde o sol
nada dizia.
vi-te desnudar
na dádiva simples de qualquer
flor
no ardor que o meu peito abraçou
e da areia que os livros deixaram
escapar.
e quando desceste sobre o chão
e desenhaste com os dedos
um pequeno fragmento do teu desejo
foi o mar que o levou
e o escondeu nas rochas
num traço cavado
como este amor
indelével, indizível
eterno,até que o deixes voar.
Jorge Bicho