quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Singelas esperanças

Tenho medo da nostalgia...
Ela trás uma saudade que contagia
Quando não tem mais jeito vira rima
Trazendo à vida uma nova poesia
Sinto saudade de tempos que vivi
De sentimentos que quase esqueci
Saudades de tardes quentes
Em que o meu olhar para o mundo era diferente
De pessoas que me fizeram gargalhar
Lugares que sempre hão de me lembrar
Alegrias de infância...
Singelas esperanças...
Mas o Tempo mostrou o seu poder
Avançou meus dias e me fez crescer
Diminuiu minhas energias e aumentou responsabilidades
Ironicamente deixou ficar apenas a Saudade
Hoje me restam musicas que marcaram momentos
Uma caixa acumulada de sentimentos
E uma sensação estranha de dejavu que senti
Lendo estas linhas pensei “Isso aqui eu já escrevi!”
Ellen Kency