quarta-feira, 20 de julho de 2016

Já me acostumei a


Já me acostumei a deitar a cabeça
 no travesseiro e espantar o meu
 sono com as minhas lembranças. 
Impossível esquecer aquela troca 
de olhares, dos abraços que tanto 
me fizeram tão bem. 
Inexplicavelmente você deixou
 um vazio dentro de mim que
 ninguém é capaz de preencher.
 Madrugada, aquela que a muitos 
amedrontam e a mim inspira,
 traz lágrimas, sorrisos e uma só saudade, 
e é com ela que eu tento conviver
 todos os meus dias na esperança
 do teu retorno.
 Querido John