quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Sejamos livres


Sejamos livres
Da palavra que fere
Da angústia que chega
Da maldade que assombra
Da ilusão que engana
Do cansaço que esgota
Da mentira que confunde
Do desafeto que afasta
Do orgulho que separa
Da mágoa que adoece.
Ita Portugal