quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Eu quis tanto ser a tua paz


Eu quis tanto ser a tua paz, quis tanto que
 você fosse o meu encontro. 
Quis tanto dar, tanto receber. 
Quis precisar, sem exigências. 
E sem solicitações, aceitar o que me
 era dado. Sem ir além, compreende? 
Não queria pedir mais do que você tinha,
assim como eu não daria mais do que dispunha,
 por limitação humana. 
Daqui a 50 anos eu ainda vou saber seu nome 
e vou me lembrar de todas as vezes
 que você me fez sorrir.
Na minha memória, tão congestionada - 
e no meu coração - tão cheio de marcas e poços 
- você ocupa um dos lugares mais bonitos.
Eu não tinha muito a oferecer, eu sei… 
Mas tudo o que eu tinha, era seu.

Caio Fernando Abreu