sexta-feira, 28 de abril de 2017

Naufraga de mim.

Eu corria livre como a água 
mansa em um riacho, 
deslizava tão tranquilamente, 
mas em meio a esse percurso 
encontrei algo que me fez parar, 
foi o brilho do seu olhar, me vi presa, 
lutei com todas as minhas 
forças para me libertar, 
e voltar a correr mansamente no 
leito desse riacho de águas tranquilas,
mas como um amaranhado de sentimentos e 
pensamentos, estou presa nesse lugar, 
como as águas não voltam, eu não posso voltar, 
e buscar outros desvios não consigo, 
me sinto já fraca de tanto lutar, 
estou ali me sentindo uma naufraga buscando folego, 
tentando me salvar....
Mas sei que sozinha não posso, 
minhas forças se esvaíram, 
preciso de sua ajuda, por isso não me canso de gritar, 
vem bem depressa, me estenda a sua mão, 
me tire deste lugar, somente o seu amor poderá me salvar...
© Direitos reservados
conforme artigo (Lei 9610/98)