quinta-feira, 14 de setembro de 2017

CONFISSÃO SOLITÁRIA DE AMAR

As folhas do caderno
Deixado sobre a mesa,
Já não comportam
Todos os segredos.
Falta-me espaço
Para acomodar
Tanto sentimento,
Que se acumulam
Dentro do meu peito.
Resumo em textos,
Traduzo em versos,
Rasgo todos os verbos,
Mas as palavras falham.
Já não consigo ter êxito
Em expressar-me,
Nesta constante e dolorosa
Confissão solitária de amar.
© Direitos reservados
conforme artigo (Lei 9.610/98)