sábado, 14 de outubro de 2017

EM SUAS MÃOS

No dia em que o conheci
Perdi alma e coração.
Você os roubou
E não mais me entregou
Sou prisioneira em sua rede
De amor e sedução.
Não tenho como fugir, 
Pois entreguei-me inteira,
Estou em suas mãos.
Nem penso em deixá-lo, um dia,
Pois passei a querê-lo
Com amor e devoção.
Meu desejo, agora e ficar com você,
Viver em seus braços
Entre beijos e abraços,
Sorrindo se você sorrir
No sofrimento, sofrer com você.
Quero ser sua companheira
Para a vida inteira
Sem arrependimento ou indecisão.
Mas, se um dia você partir,
Nem ouso imaginar
Viver na solidão!
Ficarei, então, prisioneira 
Das grades da saudade,
Ou no mausoléu da depressão.
© COPYRIGHT BY "RECANTO DA POESIA"
Todos os Direitos Reservados
conforme artigo (Lei 9610/98)
Cópias e publicações permitidas, 
desde que acompanhadas 
dos créditos ao autor.